MAIS CUSTO-BENEFÍCIO

O BAIXO CUSTO LHE PERMITE INVESTIR MAIS NO SEU PLANTEL DO QUE EM COCHOS DE MADEIRA OU CONCRETO.

Os pecuaristas na hora de alimentar seu rebanho têm sido determinados e firmes.

 

Economizar é a palavra de ordem.

 

Para vencer as adversidades do setor, usam a criatividade e procuram seguir as tendências do mercado. São convictos em afirmar que os cochos bag têm sido uma alternativa rentável.

 

Têm baixo custo, são versáteis e fáceis de serem instalados.

 

O pecuarista Diogo de Oliveira Naves, proprietário de fazendas no Pará e Goiás, afirma que utiliza este tipo de cocho sustentável em suas propriedades e garante que “o sistema é pelo menos três vezes mais barato do que o cocho de tambor e cerca de seis vezes mais barato do que o cocho convencional de cimento”.

 

Segundo o pecuarista, para driblar a crise, o produtor deve estar sempre de olho nas novidades que o mercado oferece, mas sem esquecer dois critérios importantes: reduzir custos e preservar o meio ambiente.

 

E declara: “Nós utilizamos os materiais que já temos na fazenda, na hora da instalação, como arame e madeira, o que gera comodidade e versatilidade”.

 

O produtor do século XXI tem mostrado preocupação com a preservação do meio ambiente e tem consciência de que a rentabilidade deve ser pautada na responsabilidade socioambiental.

Esse tipo de cocho é fácil de limpar e não empoça água.

 

Não serve de criadouro para o mosquito da dengue, zika e outras doenças que tantos danos vêm causando à população.